sexta-feira, 13 de outubro de 2017

MOFO - Empire of Self-Regard (EP)


2017
Selo: Independente
Nacional

Nota: 8,5/10,0

Tracklist:

1. Mountain of Origin
2. Tartarus
3. Eternal Stealing of Souls
4. Black Squad
5. We Are Metal


Banda:


Emiliano Gomes - Vocais
Arthur Colonna - Guitarras
Rodrigo “Shakal” - Guitarras
Pedro Dinis - Baixo
Gustavo Melhorança - Bateria


Contatos:

Site Oficial:
Instagram:
Assessoria:


Por Marcos “Big Daddy” Garcia


Quando se fala em Metal brasileiro, o Planalto Central sempre foi um criadouro e tanto para nomes de peso, para bandas do primeiro time do Metal nacional. Desde a década de 80, nomes como P.U.S., DARK AVENGER, VALHALLA, MIASTHENIA e outros vão mostrando que Brasília tem potencial para se tornar um dos centros do Metal nacional. E mais um nome para agregar valor ao cenário do Distrito Federal é o do MOFO, um quinteto raivoso que coloca as paredes para tremer com seu EP de estréia, “Empire of Self-Regard”.

O trabalho da banda é baseado em um Thrash Metal oitentista agressivo e veloz, mas com influências vindas do Metal tradicional. E as músicas deles mostram levadas empolgantes de primeira, muito peso e energia, seja quando usam de velocidade extrema ou quando cadenciam os andamentos. Além disso, se percebe que o quinteto possui uma boa técnica instrumental, e diferente de muitos, a banda sabe trabalhar o som para que ele não soe repetitivo, mas sem que percam a espontaneidade. Mesmo que o Thrash Metal do grupo não seja inovador, tem muita personalidade e talento, sem contar que a energia que eles desencadeiam é algo absurdo!

Ou seja, “Empire of Self-Regard” é um ótimo EP!

A produção, gravação, mixagem e masterização do EP foram feitos pelas mãos de Caio Duarte, do DYNAHEAD, com tudo feito no Broadband Studio. A crueza é enorme, já que o trabalho musical do quinteto pede por algo dessa forma. Mas não se preocupem: é óbvio que se consegue compreender tudo que eles tocam e o que querem de suas composições.

A capa é da artista Bárbara “Jekyll” Lourenção, e é sinistra, fazendo a associação dos corruptos diretamente com as criaturas do mal, estabelecendo clara relação entre políticos e outros que se alimentam da desgraça do povo com a fonte de tudo que é perverso e ruim na mitologia cristã.

Em cinco canções, o MOFO mostra-se um dos novos nomes mais fortes do Thrash Metal brasileiro. Sim, não há exageros nas palavras, pois eles mostram criatividade e arranjos suficientes para figurarem no time dos grandes nomes do gênero por aqui.

Abrindo o EP, temos a agressiva e instigante “Mountain of Origin”, onde se percebe o alinhavo melodioso do Metal tradicional por trás da muralha de riffs e solos de primeira. A base rítmica se destaca bastante em “Tartarus”, pois baixo e bateria mostram que podem manter o peso do grupo, mas com boa técnica. A frase clássica de Ronald Reagan (ex-presidente dos U.S.A.) para o então líder a U.R.S.S., Mikhail Gorbachev, para pôr o muro de Berlin abaixo, abre “Eternal Stealing of Souls”, uma canção instigante com a presença de guitarras arrasadoras (reparem nos solos) e vocalizações de alto nível. “Black Squad” é um assalto de violência sonora com ritmos que se alternam mostrando o baixo um pouco mais técnico e bateria em alto nível. Fechando o EP, temos “We Are Metal”, outro murro nos tímpanos, mostrando harmonias intensas e muito peso, além de vocais urrados inspirados e ótimos backing vocals.

Desta forma, pode-se considerar o MOFO uma revelação da nova geração Thrasher do Brasil, sem medo.

Thrash on, e que a carnificina comece!

Em tempo: “Empire of Self-Regard” pode ser ouvido nos links abaixo: