sexta-feira, 13 de outubro de 2017

VENOM INC. - Avé (Álbum)


2017
Nacional

Nota: 9,1/10,0

Tracklist:

1. Ave Satanas
2. Forged in Hell
3. Metal We Bleed
4. Dein Fleisch
5. Blood Stained
6. Time to Die
7. The Evil Dead
8. Preacher Man
9. War
10. I Kneel to No God
11. Black n’ Roll


Banda:


The Demolition Man - Baixo, vocais
Mantas - Guitarras
Abaddon - Bateria


Contatos:

Youtube:
Bandcamp:
Assessoria:

E-mail:

Por Marcos “Big Daddy” Garcia


Uma das coisas mais abomináveis que os fãs de Metal adoram fazer e são fontes de decepções que poderiam ser evitadas são as comparações. Blaze versus Bruce, Ozzy versus Dio, entre outras tantas, são sinais da eterna babaquice (me perdoem pela palavra chula, mas é de doer a paciência este tipo de coisa) que permeia o Metal. Particularmente, este autor advoga que os sentidos devem fazer o julgamento de algo como bom ou ruim sem comparações, pois assim, poderá ver algo bom e que anda procurando sem se iludir. Dessa forma, poderão entender e assimilar o ótimo “Avé”, primeiro disco do trio inglês VENOM INC., que acaba de ser lançado no Brasil pela Shinigami Records em parceria com a Nuclear Blast Brasil.

Ok, todos já sabemos que a formação do trio é aquela do VENOM que lançou o “Prime Evil”, mas há uma diferença substancial: o trabalho do VENOM INC. é mais variado e diversificado musicalmente. Também não é correto rotular o trabalho do trio de Newcastle de Black Metal, uma vez que tem raízes mais profundas no Metal tradicional da NWOBHM e no Metal Punk antigo, com a agressividade na medida certa, boas linhas harmônicas e melodias em profusão. Os vocais de Demolition Man são mais variados e interpretativos (ouça “Dein Fleisch” e entenderá), os riffs de Mantas são bem mais variados tecnicamente e Abaddon está mostrando-se um baterista bem melhor que no passado. Mas é bom lembrarem que o trabalho da banda não prima pela técnica, mas pela música em si, e “Avé” é uma descarga de energia bruta e crua de primeira.

A produção de “Avé” é do próprio Mantas, bem como ele mixou e masterizou o disco. E é aqui que começam as diferenças: a sonoridade é limpa, bem acabada, com a crueza sonora vindo apenas dos timbres instrumentais escolhidos. Tudo soa claro e pesado nas devidas proporções, e a dose de sujeira que existe no disco é aquela na medida certinha para que as músicas soem agressivas e com impacto.

Em termos gráficos, Marcelo Vasco (da PR2 Designs) fez um trabalho ótimo, com uma capa bem icônica, um layout de primeira, e tudo em um formato Digipack de primeira. Só faltaram as letras, sendo esta a única queixa.

É necessário que seja dito uma vez mais: o VENOM INC. é uma banda bem mais diversificada em termos de musicalidade, e com um trabalho de primeira. Cada uma das canções é muito bem arranjada, mas sem que a banda soe sem espontaneidade e energia. Aliás, o trio é bem mais solto do que muitos poderiam esperar, e já nasceu grande, com muito a oferecer.

Embora “Avé” seja bom como um todo, se sobressaem a densa e cadenciada “Ave Satanas” com seus riffs simples e de primeira, fora sua energia assustadora; a pegada mais abrasiva à lá NWOBHM de “Forged in Hell” e o ótimo trabalho de baixo e bateria; já em “Metal We Bleed”, se percebe uma influência um pouco mais moderna em algumas partes, embora a estética da canção como um todo é bem “Old School”, enquanto “Dein Fleisch” é terrorosa e bem atípica para este tipo de gênero de Metal, cheia de melodias sombrias e vocais interpretativos de primeira (vejam como os timbres de voz são bem diversificados); aquela sonoridade causticante em um andamento mais cadenciado que surge em “Blood Stained”; o jeito ganchudo e as guitarras faiscantes de “The Evil Dead”; o caos pestilento e envolvente das melodias sombrias de “I Kneel to No God” (mais uma vez, a base rítmica está muito bem), e o hino Metal Punk de “Black n’ Roll” (outra aula dos vocais e essa vai causar dores de pescoço nos shows).

Sim, “Avé” é um discão, ótimo para todo fã de música pesada e de bom gosto.

Aproveitem que saiu nacional, antes que acabe e você fique chupando os dedos!