sexta-feira, 1 de setembro de 2017

HERYN DAE (Pagan/Heavy Metal - São Francisco do Sul/SC)


Banda: HERYN DAE

Início de atividades: Novembro de 2014

Discos lançados: “Heryn Dae” (2016)

Formação atual: Victor Moura (vocais), Juliano Bianchi (guitarras), Cristiano Pereira (bateria), Ricardo Bach (baixo), Mateus Leal (guitarras)

Cidade/Estado: São Francisco do Sul/SC


BD: Como a banda começou? O que os incentivou a formarem uma banda?

Victor Moura: Juliano, Cristiano e eu começamos a banda a partir de uma idéia de um outro amigo meu (Jhonny), que tocava comigo em outra banda, e esta acabou parando. Como Cristiano e Juliano eram nossos amigos já de outrora propomos criar algo junto, mas no início era para tocar covers. Jhonny desanimou do projeto e resolvemos então partir para o rumo das composições. Isso foi a motivação para continuarmos até encontrarmos um baixista e a banda se formar de fato.

BD: Quais as maiores dificuldades que estão enfrentando no cenário?

Victor: Talvez várias pequenas coisas que no montante final acabam virando coisas grandes e relevantes. O ponto “união” é um problema de todos nós


BD: Como estão as condições em sua cidade em termos de Metal/Rock? Conseguem tocar com regularidade? A estrutura é boa?

Victor: Infelizmente não. Amo minha cidade, mas a estrutura é péssima e o Metal parece que não tem vez aqui. Existe uma falsa idéia de união de bandas aqui na cidade, mas o que vemos é sempre o Pop Rock, Rock ‘n’ Roll, Rock nacional, Metal, sempre para escanteio. Como no momento a HERYN DAE é a única banda do gênero na cidade, temos que correr por fora. Até conseguimos tocar com uma regularidade, mas não em nossa cidade. Quem sempre nos apoiou foram os motociclistas que abrem as portas para o Metal mesmo sendo o Rock ‘n’ Roll o gênero predominante entre eles. Mas somos insistentes... Rsrs...


BD: Hoje em dia, muitos gostam de declarar o fim do Metal, já que grandes nomes estão partindo, e outros parando. Mas e vocês, que são uma banda, como encaram esse tipo de comentário?

Victor: Fim do metal, acho que não. Metal é imortal, mas concordamos que o metal está se transformando. Não existirá bandas como IRON MAIDEN e METALLICA, mas não porque não existe bandas tão boas quanto, mas porque o mundo mudou. As pessoas de hoje não têm mais a paciência e outrora, o heavy metal cadenciado clássico de riffs marcantes e músicas longas está perdendo espaço para Thrash e Death frenéticos de pura pancadaria e músicas em média mais curtas. Porque o mundo está mais frenético e existem muitas bandas para serem conhecidas e você precisa otimizar seu tempo. A nova geração é imediatista e o metal de uma forma está sendo assim também.


BD: Em termos de Brasil, o que ainda falta para o cenário dar certo? Qual sua opinião?

Victor: Teríamos nosso Wacken particular e nosso Big 4, se existisse união e parceria mútua. Bandas de porte nós temos. Mas o primeiro comentário para elogiar uma banda do Brasil não pode ser “parece banda gringa”. E esta banda que der certo, traga outra banda junto, esta outra banda traga outra, e assim aos poucos vira uma corrente. Mas vamos lá, já estivemos pior.


BD: Deixem sua mensagem final para os leitores.

Victor: Primeiramente agradecendo a oportunidade desta entrevista. Pessoal, HERYN DAE preparando material para o segundo álbum, não temos uma data certa para lançamento. Não estamos focados em apresentações no momento para fazer um material caprichado para as próximas canções deste novo CD.

Bangers, não deixem a cena morrer, hoje o Brasil e o mundo tem infinitas bandas, um banquete espetacular de musicas para nós do metal escutar por três encarnações seguidas. Não é o HERYN DAE, somos apenas um grão de areia no deserto que está composto de Heavy, Thrash, Death, Power e tudo quanto é Metal. Vamos apoiar. E bandas, vamos nos apoiar.

Um grande abraço a todos.


Links para contatos:


Links para audição: