terça-feira, 29 de agosto de 2017

DIPLOMATAS (Punk Rock - RJ)


Início de atividades: Final de 2016

Discos lançados: Uma “Demo” com 7 faixas.

Formação atual: Gringo (Baixo e Vocal), Victor Leal (Trompete), Fabio Garcia (Guitarra), Vitor Hugo (Guitarra) e Torres (Bateria).

Cidade/Estado: Rio de Janeiro/RJ 

DIPLOMATAS


BD: Como a banda começou? O que os incentivou a formarem uma banda?

O DIPLOMATAS no início era uma banda de tributo ao Punk nacional. Onde só tocávamos clássicos como INOCENTES, OLHO SECO, CÓLERA, VÍRUS 27 e tantas outras. Mas durante os ensaios, começamos a incluir umas músicas próprias e o repertório começou a crescer absurdamente e vimos que a banda tinha se transformado numa outra coisa com a chegada do Victor Leal que entrou pra fazer uma participação e acabou efetivado. Assim conseguimos explorar mais outros estilos como o Ska por exemplo. O “tributo” deu lugar a um repertório bem legal e com possibilidades ilimitadas.


BD: Quais as maiores dificuldades que estão enfrentando no cenário?

Sem dúvida a falta de estrutura nos eventos. Decidimos não queimar cartucho tocando em eventos onde não conseguimos nem nos ouvir. É frustrante preparar um repertório, ensaiar com afinco pra fazer um puta show e na hora não conseguir passar da forma que deve ser. Continuamos trabalhando firme nas novas músicas, fazendo nossos próprios eventos e preparando bons conteúdos pra a web, que incontestavelmente é a realidade, continuamos mandando material e aguardando uma oportunidade pra apresentar nosso trabalho nas casas que hoje valem a pena se apresentar, como o Circo Voador e Imperator, por exemplo, além de algumas poucas no underground carioca.


BD: Como estão as condições em sua cidade em termos de Metal/Rock? Conseguem tocar com regularidade? A estrutura é boa?

Sem querer, acabei respondendo essa pergunta na anterior. Como falei, pra não correr esse risco de tocar num evento sarapa, preferimos fazer nosso próprio evento como a Festa Arriba Cabrón. Fazemos algo temático, por conta da identidade que a banda foi criando. Essa pegada Punk e Ska com uma linha de trompete meio mexicano nos ajuda nesse sentido. Percebemos que os shows de bandas underground no Rio de Janeiro estão se mostrando pouco atraentes. Por isso a gente prefere promover uma festa com DIPLOMATAS encabeçando e uma ou duas bandas convidadas.


BD: Em termos de Brasil, o que ainda falta para o cenário dar certo? Qual sua opinião?

Olha, falta muito. Eu (Gringo) tive oportunidade de ir com a minha outra banda (8MM) para a Europa numa turnê de 30 dias e foi um total choque cultural. Lá fora, por menor que seja a casa, você tem uma estrutura legal de show, um suporte de alimentação e cachê. E o público apoia comprando CDs e camisetas. Temos ótimas bandas aqui, bandas que quando decidem se aventurar no Velho Continente são tratadas como se fossem bandas grandes aqui. No final dos shows quando vinham conversar com a gente o pessoal sempre falava que nossos shows no Brasil deviam ser lotados, eles achavam que a gente só tocava em grandes palcos, enfim... Expectativa versus realidade rsrsrs


BD: Deixem sua mensagem final para os leitores.

Primeiro gostaríamos de agradecer o espaço, atitudes com essa são fundamentais para a reconstrução de uma cena. Hoje em dia é tanta “facilidade” de informação que é difícil prender a atenção e aguçar a curiosidade do público.

DIPLOMATAS é uma banda de rock que se preocupa em passar um material de qualidade e sempre um show com uma vibe pra cima.


Links para contatos:

www.diplomataspunkrock.com  (Aqui o Download é liberado)

Links para audição: