segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Roadie Metal Vol. 10 (coletânea)


2017
Selo: independente
Nacional

Nota: 8,3/10,0

Tracklist:

Disco 1:

1.      EXORDDIUM - Hail
2.      SPHERASTRAL - My Destiny
3.      TUPI NAMBHA - Invasão Alienígena
4.      DIXIE HEAVEN - Riding the Thunder
5.      HOLDER OF SOULS - Holder of Souls
6.      ANFEAR - Lady of the Rivers
7.      PERPETUAL LEGACY - Looking for the Endless Light
8.      RUI CAMPOS - Sobre o Tempo
9.      THE MELTIES - Hit Me
10.  ATRORIUM - One More Victory
11.  HECTOR RIBEIRO - Between Life and Death
12.  KABESATÉLITE - Verme
13.  ALMA NEGRA - Verdades Controvérsias
14.  SUMERIUS - Tudo ou Nada
15.  VOLÚPIA - Rebelião
16.  PELTSROCK - Oceanos
17.  EM CHAMAS - Devil in my Mind
18.  JOHNNY O’RIVER - Koctive


Disco 2:

1.      INNER FLAMES - Expurgo
2.      PLACE TO DIE - The Cohesion of Your Acts
3.      THE DAMNED HUMAN FLESH - Ruínas
4.      LONE HUNTER - The Wake Up of Angry
5.      HOLLOW HEAD - Disrupted Conduct
6.      KALONIA - The Blame Will Haunt You
7.      COLLAPSE NR - Chega!
8.      UFRAT - Confronting Death
9.      GRAVEKEEPERS - Senhor do Caos
10.  VEUMOR - Insula Morgue
11.  THRASHALL - Recaída
12.  LAMENTO - Elysium
13.  AÇÃO LIBERTÁRIA - Cidadão de Bem
14.  CRUSHING SOULS - Nossos Inimigos
15.  MONSTERHEAD - This Perfect Game
16.  REVENGE RITUAL - Jogado as Traças
17.  ONE THOUSAND DEAD - Infernizando
18.  SONS OF RAGE - The Two Faces of a Man


Contatos:



A coletânea “Roadie Metal” já tem seu espaço garantido no Metal nacional.

Ela começou de forma bem tímida, mas foi ganhando mais e mais espaço com o passar do tempo, e hoje é um sucesso entre fãs de música pesada do Brasil. E chega mais uma edição, o décimo volume, e mantendo sua proposta igualitária, vemos juntos nomes jovens e alguns emergentes do cenário nacional. E, dessa forma, todas as bandas ganham uma boa divulgação, pois ouvindo cada um dos dois discos, sempre tem algo que vai gostar, mas vai precisar ouvir.

Entenderam? Você já tem uma ou duas que gosta a início, mas pode achar outras, pois a aposta é boa!

E mais uma vez, como em todas as resenhas de volumes anteriores da “Roadie Metal”, é necessário avisar o ouvinte: como em qualquer coletânea, sempre existe a oscilação de qualidade de som de uma banda para outra. E lembrando: cada estilo tem sua forma pessoal de soar, e também temos que as condições para cada grupo é diferente, logo, não exijam de todas as bandas a mesma qualidade sonora. E além disso, a arte ficou mais uma vez muito boa.

Cada banda tem sua identidade, e assim sendo, tem o que oferecer aos ouvintes. Algumas ainda necessitam de uma polida, outras que uma qualidade sonora mais bem feita, mas todas têm potencial.

Para mera referência do leitor, citamos alguns destaques.

No disco 1 se sobressaem o trabalho “heavyssívo” do SPHERASTRAL na ótima “My Destiny”, a criatividade do Metal nativo apresentado pelo TUPI NAMBHA em “Invasão Alienígena” (que faz um mix de primeira de elementos indígenas com Metal que é de primeira, com ótimo trabalho da base rítmica), a pancada tradicional e melodiosa do DIXIE HEAVEN com “Riding the Thunder”, a criatividade do HOLDER OF SOULS em “Holder of Souls”, a elegância ceia de boas melodias e envolvente do ANFEAR em “Lady of the Rivers” (as harmonias seduzem os ouvintes, com arranjos de teclados e guitarras de primeira, sem contar esses vocais femininos belíssimos), o jeitão sinfônico belo e criativo do PERPETUAL LEGACY apresentado na acessível e ganchuda “Looking for the Endless Light”, a sujeira abusiva e feroz do THE MELTIES em “Hit Me” (quase que um MOTORHEAD com vozes femininas), a debulhada “satrianesca” instrumental de HECTOR RIBEIRO em “Between Life and Death”, e o trabalho modernoso e agressivo KABESATÉLITE em “Verme” (mezzo Rapcore, mezzo Hardcore, é bem feito e com boas linhas e baixo e bateria), as linhas harmônicas.

No disco 2, se destacam a fúria abrasiva do INNER FLAMES em “Expurgo”, a aproximação agressiva do PLACE TO DIE em “The Cohesion of Your Acts” (ótimo trabalho, só os vocais precisam dar uma melhorada), o esporro brutal do THE DAMNED HUMAN FLESH em “Ruínas”, o Thrash clássico raçudo do HOLLOW HEAD em “Disrupted Conduct” (aquele jeitão melodioso e ganchudo à lá METALLICA dos tempos antigos, muito bem feito, mas cujos vocais precisam melhorar), a fluxo insano de adrenalina do KALONIA em “The Blame Will Haunt You”, a energia crua do UFRAT em “Confronting Death” (outro a trilhar os caminhos do Thrash Metal, com ótimas guitarras), a agressividade melodiosa e envolvente do VEUMOR em “Insula Morgue”, a fúria Thrashcore suja do AÇÃO LIBERTÁRIA em “Cidadão de Bem”, a torrente de inconformismo raivoso do CRUSHING SOULS em “Nossos Inimigos”, e a pancadaria suja e cheirando à ódio do ONE THOUSAND DEAD em “Infernizando”.

No mais, a “Roadie Metal Vol. 10” vem para dar continuidade a um ótimo trabalho: o de dar espaço a quem não tem oportunidades.