terça-feira, 16 de janeiro de 2018

KRAKKENSPIT - Fear My Name


Ano: 2017
Tipo: Demo CD
Selo: Independente
Nacional


Tracklist:

1. Fear My Name
2. Winds of Armaggedon
3. Love Foreve Gone


Banda:


Marcio Cruvinel - Vocais
Aldo Sabino - Guitarras
Julian Stella - Baixo
Italo Brunno - Bateria


Ficha Técnica:


Contatos:

Site Oficial:
Twitter:
Instagram:
Bandcamp:


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


Aqueles que possuem ouvidos bem experientes dentro do Metal conseguem reconhecer uma banda formada ou por músicos novatos ou aqueles com muitos calos dos anos. No caso dos que já estão com rodagem na estrada do Heavy Metal, alguns desses músicos são capazes de pegar uma fórmula já desgastada pelo uso e trazer para o presente de uma forma que não só convence, mas ganha fãs. O KRAKKENSPIT de Goiânia (Goiás) que o diga, já que o Demo CD “Fear My Name” merece aplausos de todos.

O quarteto tem raízes bem profundas e antigas, remetendo a grupos como o ESCOLA ALEMÃ e ao TERMINATOR, que possuíam traços mais agressivos. Já o KRAKKENSPIT é uma banda de Heavy Metal tradicional, que é permeada por passagens modernas e “Thrashy” nos moldes de um ICED EARTH ou JUDAS PRIEST. Como dito, esse jeito de se fazer música não é recente, mas nas mãos do quarto, funciona muito bem, é cheio de energia e com ótimo trabalho instrumental, rico em boas harmonias e melodias que grudam nos ouvidos.

Sim, “Fear My Name” é um ótimo trabalho.

A sonoridade criada para esse Demo CD ficou bem além das expectativas. Está bem melhor que muitos EPs oficiais que se ouve por aí, com bom equilíbrio entre as partes mais pesadas e agressivas e as linhas melódicas. E, além disso, percebe-se que o quarteto teve uma preocupação extra em se fazer entender musicalmente, logo, a clareza das músicas é bem evidente.

Agora, em termos de arte gráfica, a banda caprichou: o CD vem em uma pasta (isso mesmo, em uma pasta) semelhante àquelas em que certos documentos são entregues, com as folhas com cada letra de música separada, histórico de cada músico, e todas em tamanho A4 ou semelhante. E a qualidade do papel é impressionante.

Só que esta arte mostra uma banda ousada, que demanda que corresponda à altura na música. E eles fazem, acreditem, pois o grupo realmente tem muito potencial, soa coeso e pesado, sem deixar de ser melodioso e sedutor. Aliás, o grupo tem uma noção melodiosa incrível, mas sem negar suas raízes extremas. Por isso soa tão bom aos ouvidos.

Muitas mudanças de ritmo e doses homeopáticas de agressividade permeiam “Fear My Name” e seu andamento mais cadenciado, onde os vocais agressivos são excelentes, assim como as guitarras. Em “Winds of Armaggedon”, peso “sabbáthico” se mistura à riffs modernos, mas com forte destaque para baixo e bateria. E “Love Foreve Gone”, apesar de o nome sugerir que ela é uma balada, é uma coice de mula pesado e denso, com um andamento pesado e empolgante, um refrão muito bom e uma dinâmica entre vocais e instrumental perfeita.

No mais, o nome do KRAKKENSPIT merece ser acompanhado com toda atenção.

Nota: 87%