sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

CINNAMUN BELOVED - Stain


Ano: 2018
Tipo: Full Length
Selo: Don’t Pay Music
Importado


Tracklist:

1. Symbols of Beginning                  
2. So Far                    
3. Ride the Night                  
4. I Don’t Wanna Be            
5. Together                
6. Furious as the Wind                      
7. Storyline                
8. The Scent              
9. Without your Caress                     
10. Another Day                   
11. Symbols of Beginning II


Banda:


Sabrina Filipcic - Vocais
Leonardo Lukaszewicz - Guitarras
German Esquerda - Teclados
David Saavedra - Baixo em “The Scent” e “Without your Caress”
Matias Hernan Sala - Bateria


Ficha Técnica:

Cinnamun Beloved - Produção
Martín Di Lacio - Produção
Juan Collado - Mixagem, masterização
Sabrina Filipcic Holm - Artwork, design
Esteban Zenzerovich - Efeitos eletrônicos
Andrés Bernad - Baixo em “Storyline”        
Alejandro Guimaraes - Baixo


Contatos:

Instagram:
Assessoria: http://skywards-promotions.blogspot.com.br/ (Skywards Hard & Heavy Promotions)


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


Uma característica que podemos comprovar em relação aos fãs de Metal do Brasil é sua completa ignorância quando se fala em Metal da América Latina. Temos muito pouco contato com bandas de outros países vizinhos, o que chega a ser vergonhoso: conhecemos muito o Metal europeu, mas o sul-americano sempre acaba sendo deixado de lado. E quando falamos em nossos vizinhos da Argentina, o desconhecimento beira a nulidade. É uma pena, pois bandas como CLIMATIC TERRA, V8 e RATA BLANCA já mostraram tantas vezes como se faz música de gabarito na terra de nossos “Hermanos”. E um nome forte e interessante da cidade de Buenos Aires é o do CINNAMUN BELOVED, que já está em seu segundo disco, chamado “Stain”.

O estilo da banda é claro: aquela mistura de bons vocais femininos com ótimas melodias, excelentes orquestrações de teclados, riffs de guitarra de peso, e um trabalho de baixo e bateria com boa diversidade técnica. Se por um lado esse jeito de se fazer Metal não chega a ser algo novo, o quinteto mostra muita personalidade, um jeito de se fazer harmonias que seduzem os ouvintes, e muito, muito potencial.

Em termos que qualidade de som, “Stain” tem um bom nível. Embora muitas vezes se perceba uma crueza além do necessário para o trabalho que eles fazem, não ficou ruim. Óbvio que conseguimos compreender o que o quinteto está fazendo, tem peso e boa clareza, mas poderia ser um pouco mais limpo. Mas está bom como está.

Na arte, a banda lança mão de algo mais simples e direto, talvez para que a atenção do ouvinte fique focada apenas na música que eles fazem.

Embora o CINNAMUN BELOVED possa render bem mais do que mostra em “Stain”, fica comprovado que eles fizeram um trabalho e tanto. E lembrando que esta forma de fazer Metal saiu de evidência há alguns anos, é um disco muito bom, e uma proposta corajosa. E como a banda sabe arranjar bem suas canções, mostra uma técnica muito boa, mas que não soa excessiva.

“Stain” é um disco muito bom do início ao fim, onde se destacam o andamento ganchudo da melodiosa “So Far” (sem contar que a interpretação de Sabrina é ótima), o jeitão pesado e acessível de “Ride the Night” (baixo, bateria e teclados se mostram em ótima forma nesta canção), a melancolia introspectiva de “I Don’t Wanna Be” (outra canção onde os vocais são belíssimos, sem falar nos pianos bem encaixados), o jeito mais pesado e agressivo de “Storyline” e suas guitarras agressivas, a condução rítmica sedutora e as melodias mostradas em “The Scent”, e as belas e pesadas linhas melódicas de “Another Day”.

O CINNAMUN BELOVED é um nome extremamente promissor das terras de nossos “Hermanos”, “Stain” é um disco muito bom, mas como dito acima: eles podem fazer muito melhor, logo, é uma questão de tempo para que conquistem mais e mais fãs.

Ah, sim: “Stain” pode ser baixado de graça no site da banda.

Nota: 83%