segunda-feira, 30 de outubro de 2017

CRUSHING AXES - Trail of Blood (Álbum)


2017
Independente
Nacional

Nota: 8,3/10,0

Tracklist:

1.      God Says Hate
2.      South American Prison
3.      Below Salt
4.      Trial by Combat
5.      Burn Everyone
6.      Fire Throne
7.      In the Path of Death
8.      Trail of Blood
9.      Commotio Cordis
10.  Deathcult
11.  The Spoilers of War


Banda:


Alexandre Rodrigues - Vocais, todos os instrumentos

Convidados:

Jairo Vaz Neto
Glauber Rico
Luiz Arthur


Contatos:

Youtube:
Instagram:
Assessoria:


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


O underground brasileiro tem mostrado sua fertilidade ano após ano, e vemos bandas cada vez melhores e mais profissionais surgindo. Infelizmente, nem sempre o feedback no Brasil é o que elas merecem, já que os fãs de Metal brasileiros parecem mais preocupados com infinitas tretas e política do que com o estilo em si. É uma pena, mas é como as coisas estão nos últimos anos. Sempre triste ver algo assim, pois eles não se permitem ouvir bandas como o CRUSHING AXES, de São José dos Campos, um veterano que chega com seu mais novo álbum, “Trail of Blood”.

Por ser uma “one man band” (uma banda de uma pessoa apenas, que toca todos os instrumentos e faz todos os vocais), Alexandre Rodrigues orienta o lado musical do projeto para algo próximo ao Death Metal, apenas com um “insight” mais experimental, diferente do que se ouve por aí. O enfoque é sempre pesado, seja nos momentos mais velozes ou nos mais cadenciados. E sim, cada uma das músicas de “Trail of Blood” merece uma ouvida bem cuidadosa.

Óbvio que Alexandre cuidou da produção e todos os aspectos técnicos da sonoridade. E aqui, percebe-se que a opção foi por algo mais limpo, mais claro, do que nos primeiros trabalhos do projeto. Mas ao mesmo tempo, ela nos permite ouvir claramente como a essência musical do CRUSHING AXES está bem mais clara ao ouvidos, em composições mais soltas e espontâneas. O que a experiência e o tempo não fazem...

Brutal e técnico, mas sempre preocupado em se manter coeso e diferenciado, o que se ouve em “Trails of Blood” é algo ótimo, com bons arranjos e músicas que fluem de maneira espontânea, sem nada forçado.

E desta forma, percebe-se que canções como “God Says Hate” e seu ataque de riffs ferozes e bem trabalhados (sim, há uma pegada interessante nas guitarras em vários pontos dessa música), as partes mais refreadas de “Below Salt” (onde se percebe a clara influência de Thrash Metal aqui e ali, e o trabalho de baixo e bateria está muito bom), a mais experimental “Trial by Combat” (onde na introdução, temos a presença de violões e guitarras limpas antes do mundo vir abaixo, mostrando uma canção mais pesada e cadenciada, mostrando baixo e bateria em grande forma), mesmos elementos que se ouvem em “Burn Everyone”. Um pouco mais trabalhada em termos de arranjos é “In the Path of Death”, que tem velocidade e onde se tem a participação do vocalista do CHAOS SINOPSYS, Jairo Vaz Neto; a veloz e agressiva “Trail of Blood” é outra bordoada no queixo, onde Glauber Rico (vocalista do NEKROST) chega junto e participa; mais trabalhada e cheia de detalhes ótimos de guitarra é “Commotio Cordis”, onde Luiz Artur do HATEMATTER aparece. E destacam-se ainda a arrastada e azeda “The Spoilers of War” e seus vocais guturais de primeira.

Desta forma, o CRUSHING AXES se mostra vivo e disposto a continuar em sua trilha de sangue e boa música.