sábado, 2 de setembro de 2017

CODMORSE - The Cost of Peace (EP)


2017
Selo: Independente
Nacional

Nota: 7,7/10,0

Tracklist:

1. Nuclear Fear
2. Sign the Hell
3. The Wolf
4. Chaos in Order


Banda:


Júnior - Vocais
Wesley Lima - Guitarras
William Reznor - Guitarras
Gabriel Scavacini - Baixo
Paulo Cavalcante - Bateria


Contatos:

Site Oficial:
Twitter:
Instagram:
Bandcamp:
Assessoria: http://www.mothdivision.net/p/banda-2.html (Moth Division)


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


A juventude musical é interessante nas bandas de Metal. Em seus primeiros trabalhos, o que pode faltar em termos de detalhismo minimalista nos arranjos, sobra em energia e força. Quase todas as bandas são assim (com raras exceções), e o quinteto CODMORSE, de Itu (SP, a famosa cidade onde tudo é gigantesco nas anedotas populares). Eles já possuem 5 anos nessa luta, mas somente agora chegam com seu primeiro trabalho, o EP “The Cost of Peace”.

O trabalho deles é dividido da seguinte forma: 75% Heavy Metal tradicional + 25% Thrash Metal. Sim, temos em mão um híbrido, já que eles fazem um trabalho voltado ao Metal tradicional com um toque de NWOBHM, basta observarem a técnica “Harrissiana” do baixo em “The Wolf”, bem como os timbres vocais à lá Kevin Heybourne (do ANGEL WITCH) em certos momentos. Mas a agressividade do Thrash está em muitos arranjos, nos vocais com backing vocals à lá ANTHRAX. Óbvio que a banda ainda necessita de mais amadurecimento musical, mas a energia é absurda, gerando canções de bom gosto e que nos envolvem.

A produção do EP é boa. Óbvio que a crueza poderia ser menor, os timbres um pouco mais bem escolhidos. Mas em compensação, o som flui pelos falantes de forma orgânica, e consegue-se compreender claramente o que eles estão tocando, bem como as melodias são evidentes. Não está ruim, só poderia ser melhor.

Uma ótima dupla de guitarras (com bons riffs e solos eficientes), baixo com boa técnica e bateria com peso, e vocais que encaixam muito bem no instrumental da banda, backing vocals e corais bem pensados, e tudo isso nos concede canções com bons arranjos e muita energia. Óbvio que eles ainda têm um longo pelo caminho para polir ainda mais sua música, mas já está em um nível muito bom.

“Nuclear Fear” é uma canção mais curta, com andamento mediano, boas melodias e sem muita complicação técnica, além de boa dose de energia. Mas o arsenal da banda fica mais evidente em “Sign the Hell”, onde a fusão de timbres azedos do Thrash Metal com as melodias do Metal tradicional está evidente, em uma canção envolvente e sedutora, onde as guitarras mostram sua técnica e força nas bases e solos, sem mencionar o bom refrão e ótimos backing vocals. O trabalho de baixo e bateria ganham mais visibilidade na cadenciada “The Wolf”, onde a banda mostra seu potencial musical, exibindo uma canção com boas linhas harmônicas e vocais interessantes. Já “Chaos in Order” já tem uma pegada um pouco mais agressiva e direta, com melodias mais subjetivas e um bom trabalho dos vocais mais uma vez.

O trabalho do quinteto ainda pode melhor, mas verdade seja dita: o CODMORSE é uma banda promissora.