domingo, 27 de agosto de 2017

HELLION COLLECTION V (Coletânea)


2017
Nacional

Nota: 8,8/10,0

Tracklist:

1. ATTICK DEMONS - Circle of Light
2. SOULSPELL - The Second Big Bang
3. MONSTER TRUCK - Don’t Tell Me How to Live
4. FUZZ EVIL - Killing the Sun
5. RIVAL SONS - Thundering Voices
6. CRACK JAW - Danger
7. RIFF RAFF - Give the Dead Man Some Water
8. LUCIFER’S FRIEND - Demolition Man
9. BODY COUNT - Walk With Me
10. PAIN OF SALVATION - Meaningless
11. GIRAFFE TONGUE ORCHESTRA - Adapt or Die
12. RIVAL BONES - You Know Who You Are
13. ROCK GODDESS - It’s More than Rock and Roll
14. SEVEN SPIRES - The Cabaret of Dreams
15. MARIUS DANIELSEN - Chamber of Wisdom
16. IRON FIRE - Iron Eagle
17. AYREON - Star of Sirrah
18. BEYOND THE BLACK - Dies Irae


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


Quando vemos coletâneas, sempre fica a idéia que um selo/banda está caçando níqueis. Mas algumas fogem dessa regra, pois realmente buscam apresentar todo o “cast” de um selo aos fãs de uma forma mais simples e barata para todos. E a “Hellion Collection V”, mais um volume da coleção lançada pela gravadora Hellion Records, nos brinda com bandas lançadas pelo selo, e algumas surpresas contidas nela são sublimes.

Um dos diferenciais é a mistura entre nomes fortes e outros que estão começando, entre bandas do Brasil e outras do exterior, sem contar que o radicalismo passa longe do disco. Sim, você terá um autêntico “tem pra todo mundo” em mãos, mas que é fascinante trazendo músicas selecionadas a dedo, e que são todas ótimas.

Em termos de qualidade sonora, todas as faixas estão com uma gravação de primeira, só se diferenciando umas das outras pela abordagem estilística de cada banda, já que alguns necessitam de um som mais limpo (como o SOULSPELL), outros de algo mais orgânico (como o RIVAL SONS), e outros com uma qualidade estilo “pé na porta, bicuda de coturno nos dentes” (como o BODY COUNT). Mas cada uma tem sua beleza própria.

Todas as bandas estão ótimas, com canções escolhidas com muito cuidado. Mas em meio a 18 canções, algumas realmente de destacam, como a força tradicional do ATTICK DEMONS em “Circle of Light” (e seu ótimo trabalho nas guitarras), a sinfonia Metal do SOULSPELL em “The Second Big Bang”, a sujeira Stoner Rock grooveada do MONSTER TRUCK em “Don’t Tell Me How to Live” (reparem no vocal com um jeitão Bluesy essencial), as melodias envolventes do CRACK JAW na ótima “Danger”, o veterano Rocker LUCIFER’S FRIEND com as lindas melodias envolventes de “Demolition Man” (e o ótimo trabalho de John Lawton nos vocais é sempre fabuloso), o demolidor de queixos e preconceitos chamado BODY COUNT e sua pegada Hardcore/Thrash Metal com vocais de Rap em “Walk With Me” (uma surra de riffs, pegada pesada na base rítmica e muitos vocais insanos), o trabalho eclético e intenso do supergrupo GIRAFFE TONGUE ORCHESTRA em “Adapt or Die”, a crueza das Primeiras Damas do Hard’n’Roll ROCK GODDESS no hino “It’s More than Rock and Roll” (cru, direto e simples, mas sempre de alto nível), a pancada sinfônica agressiva do SEVEN SPIRES na grudenta “The Cabaret of Dreams” (que vocais de primeira!), a belíssima e envolvente “Chamber of Dreams” de MARIUS DANIELSEN (um Power Metal épico e melodioso com belas linhas vocais e riffs perfeitos), e o bom gosto sinfônico e criativo do BEYOND THE BLACK na excelente “Dies Irae”.

Uma ótima coletânea, daquelas que se coloca para tocar em repetição infinita.