terça-feira, 10 de outubro de 2017

THEORY - Beyond the Vision (Álbum)


2017
Selo: Independente
Nacional

Nota: 8,3/10,0

Tracklist:

1. Beyond the Vision
2. My Last Condition
3. Reasons
4. Find Yourself
5. Tears of Blood
6. War for a Dead Land
7. Obsessed
8. Dreams and Nightmares (feat Bruno Paraguay)
9. Haters
10. Beside You


Banda:


Viktor Castro - Vocais, guitarras
Marcelo Augusto - Guitarras
André Soares - Baixo, backing vocals
Rodrigo Damasceno - Bateria


Contatos:

Twitter:
Instagram:
Bandcamp:
Assessoria:


Por Marcos “Big Daddy” Garcia


Fazer estilos modernos de Metal no Brasil é algo que sempre encontra muita oposição pelas alas mais conservadoras de fãs de Metal. Mas isso, ao mesmo tempo, não é capaz de negar o valor de tais trabalhos. E um bom exemplo é “Beyond the Vision”, álbum do quarteto THEORY, de Vespasiano (MG).

Misturando Modern Death Metal com a intensidade de Groove Metal, mais um pouco daqueles toques de Nu Metal e Metalcore (especialmente no uso de timbres limpos de voz em alguns momentos). A banda, usando a experiência de 8 anos que possui, consegue fazer soar consensual e com personalidade. E sim, o álbum é ótimo, tem “appeal” e irá conquistar os fãs do gênero.

A produção sonora do álbum ficou muito boa, clara e limpa. Óbvio que existem as doses de peso e crueza para que as músicas soem agressivas. Tudo dentro daquilo que o grupo se propõe a ser, inclusive com timbres instrumentais modernos. Aliás, que se diga de passagem que é uma produção muito bem cuidada em termos de Brasil.

A espontaneidade e energia da banda são enormes, mas se percebe que o grupo se preocupou em arranjar bem suas composições, buscando sair de clichês e pontos comuns, buscando se diferenciar de tantos que surgem dia após dia. Embora fique óbvio o talento lhes permita render ainda mais, “Beyond the Vision” é um álbum de primeira.

Em dez canções de muitas mudanças rítmicas e melodias associadas com momentos brutos, a banda mostra enorme potencial, como ouvido no azedume Grooveado à lá SEPULTURA de “My Last Condition” e sua base rítmica sólida e bem trabalhada; a levada instigante de “Reasons” e de “Find Yourself”, ambas apresentando riffs ganchudos (e na segunda, alguns ótimos vocais limpos); o baixo aparecendo muito bem no início da carregada “War for a Dead Land”, onde temos oscilações entre passagens mais agressivas e outras mais climáticas; as passagens quase Djent das guitarras em “Obsessed” e seus vocais oscilando de timbres; o Groove rasgado e ganchudo de “Haters”; e a bela e bem trabalhada “Beside You”, com sua introspecção intensa e linhas melódicas de primeira.

Sim, o THEORY é uma banda madura, talentosa e disposta a ganhar seu espaço no cenário. E desejamos que “Beyond the Vision” leve-os para mais perto desse objetivo.